Transporte para deficientes: como funciona e quais as melhores opções

Transporte para deficientes

Infelizmente, ser deficiente físico no Brasil ainda pode significar enfrentar diversas limitações no dia a dia, em várias tarefas. Uma das dificuldades está no transporte para deficientes.

Desde o ano 2000 existe uma lei que determina que todos os veículos de transporte coletivo devem possuir requisitos de acessibilidade de acordo com as normas específicas, mas, na prática, sabemos que não é assim que acontece.

São muitos ônibus não adaptados rodando sem ser barrados pela fiscalização. Além de muitos motoristas que não param para deficientes físicos ou não auxiliam no embarque e transporte deles dentro do ônibus. Vale lembrar que deficientes físicos ou mentais, com baixa renda comprovada, possuem direito ao passe livre, ou seja, não precisam pagar pela passagem, além de terem o direito reservado a bancos preferenciais.

Ter a mobilidade reduzida pela dificuldade em transporte pode ser bastante limitador para que o deficiente leve uma vida normal, realize uma viagem, curse uma universidade ou mantenha um emprego.

No caso de fazer turismo, existirá a preocupação extra de saber se os locais são adaptados e acessíveis para cadeira de rodas, por exemplo, se existe transporte público apropriado para pessoas portadoras de deficiência — além da estrutura de cada uma das atrações turísticas.

Para o transporte de deficientes que estudam e trabalham, a opção mais buscada geralmente ainda é o transporte público. Confira outras opções de transporte para deficiente pelos quais você pode optar.

Carro adaptado

Entre as opções mais cômodas para transporte de deficientes está o carro de passeio. Deficientes físicos podem tirar a Carteiro de Habilitação, se aprovados nos testes necessários.

Existem veículos adaptados para pessoas portadoras de necessidades especiais, que podem ser muito úteis, seguros e confortáveis.

Serviços de carro particulares

Pagar por uma corrida de táxi, ou outro serviço de carro particular também pode ser uma opção viável em uma situação específica, mas como transporte diário se torna inviável devido ao custo.

Serviços criados pelo governo

Na cidade de São Paulo, existe um serviço criado pela prefeitura, chamado “Atende”. Trata-se de um meio de transporte gratuito para deficiente, que funciona das 7 horas da manhã até as 8 horas da noite, para clientes cadastrados.

A programação é pré-agendada, sempre estabelecida com antecedência, o que torna inviável para emergências ou necessidades inesperadas.

Empresas que oferecem serviços de transporte para deficientes

Pensando em atender com conforto às necessidades de pessoas com deficiência física, algumas empresas oferecem um serviço de traslado realizado com veículos adaptados, além de profissionais treinados para atender os clientes e suas famílias, prezando sempre pelo respeito e dignidade, entre essas está a Belatur.

O foco da Belatur é assegurar aos deficientes físicos o direito de ir e vir. Também existem serviços especializados para deficientes auditivos, como passeios guiados por guia fluente em Libras — a linguagem dos sinais. Sendo assim, o cliente que for deficiente auditivo vai apreciar a sua experiência assim como os demais, sem ser privado de nada. Para contratar o serviço, acesse o site da Belatur.

A principal mensagem é que a deficiência não é uma sentença de limitações eternas, e que apesar de todas as dificuldades encontradas no dia a dia, especialmente com serviços públicos precários, existem opções no transporte para deficientes que possibilitam uma vida comum e prazerosa.

Para receber mais informações e dicas sobre transporte para deficientes, e outras dicas de turismo assine a nossa newsletter.

2 Comentários

  • Pra quem não tem carteira do passelivri vai como para viajar.

    eu sou elidia Moro em Teresina Piauí
    sou deficiente i ainda não tenho passelivri.

    • Olá Elidia, boa tarde! Tudo bem por aí? Nós estamos em Florianópolis, mas pesquisei para você e consegui achar esta informação em Teresina:
      Para que seja feita a emissão do Passe Livre, o usuário idoso deve ter idade mínima de 65 anos e direcionar-se a um Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) de sua região, levando cópia da identidade, CPF e comprovante de residência. As pessoas com deficiência também devem procurar o CRAS, levando também a cópia da identidade, CPF, comprovante de residência e a cópia do laudo médico comprovando a deficiência.
      Aqui segue o endereço do CRAS: R. Bárbara de Menezes, 5865 – São Francisco, Teresina – PI, 64009-755 Telefone: (86) 3214-2031.
      Espero ter ajudado ! 😄🙏

Deixe um comentário